O último panda europeu estava esquecido num museu da Bulgária

Uma espécie até hoje desconhecida de panda gigante que deambulava pelas zonas húmidas da Europa há 6 milhões de anos foi identificada após a descoberta de dois dentes armazenados num museu

da Bulgária.

A espécie agora descoberta foi o último panda conhecido a viver na Europa, que os investigadores batizaram Agriarctos nikolovi em homenagem ao paleontólogo do museu.

O estudo revelou que o urso era tão grande quanto o panda gigante moderno ou ligeiramente mais pequeno.

Provavelmente tinha uma dieta principalmente vegetariana, mas as suas refeições teriam sido mais variadas do que as do panda da atualidade, que só come bambu.

O depósito de carvão onde os dentes foram encontrados mostra que este panda gigante habitava regiões de floresta e pântanos.

Spassov e o coautor do estudo Qigao Jiangzuo, especialista em pandas da Universidade de Pequim, na China, sugerem que o panda

se extingiu num evento em que

a bacia do Mediterrâneo secou, transformando o ambiente ao redor.

<!— netScope v4 – Begin of gPrism tag for AMPs -->